21 setembro 2006

Paulo Castro

SUBSTÂNCIA AMOR


Interessante notar que provei da substância amorosa com 33 anos.

Antes não sei o que era, na verdade, sabia, escrevia e por isso, era algo literário, que cabe em uma sintagma. Mas ontem provei algo que causa mesmo alucinações visuais, sério. O quintal, plena noite, brilhou da cor do dia. Parecia algo bem forte, que dava até medo, mas já estive em muitas paradas, não era essa, a que é a maior de todas, que iria me afastar. Pode paracer sem sentido. O lance é que todos sentidos, tempo-espaço, se concentraram em um único ponto.

De força atômica.

Ontem perdi minha virgindade, minha veia era um canalículo de saliva.

Não há descrição possível pra isso.

Só algo como um relatório. Não um elogio, elogios seduzem, eu quero manifestar a clareza do amor.

Os objetos, antes ameaçadores, se tornam abençoados, apesar de confusos.
A arte ganha nova dimensão.

Você ouve as pessoas que não sejam o seu amor apenas por bondade natural que só nasce de tal vício.

É inalienável. Ninguém pode me tirar.
Existe uma raridade que se conclui da falta de expressão de tais relatórios objetivos. A literatura peca pela quantidade enorme de figuras lingüísticas.

Não há fórmula. No meu caso, metido em auto-suficiência covarde, apenas permiti certa depilação, lavar de cabelos ( ela gosta revoltos ), ouvir um disco, ouvir mais que isso, histórias dela, com real e magnético interesse, e eu, me lembrei de histórias que ainda não tinha contado à ela. Onde estavam essas coisas ? Nossa, quanta bobagem eu havia desferido, como havia me esquecido de tanta grandiosidade, que assim só constatei quando houve paralelismos com passagens da vida dela...eu fiquei no meu ego, mas meu ego estava sendo possuído - a bom gosto, que se entenda - pelo dela, em um espelho de regojizo.

A imbecilidade diz: "Um dia você chega lá".
E nós dissemos, abraçados:
- estamos em sonho ? estamos em universo paralelo ?
eu, besta que sou:
- estamos mortos...?
- NÃO !
Sacaram ?
( imaginem um eletro-cardiograma de alguém VIVO).
( O Eletrocardiograma conduz eletricidade, e agora, a vida dispensa terrorismos das baixas por brigas. Imagine subir uma escada. E subir. )
Saquei.


2 Comments:

Blogger No Escuro said...

Meu melhor amigo e talvez o amor da minha vida, mora no Universo paralelo...

Estarei mortinha??? :O

Ana Cristina.

21 setembro, 2006 06:26  
Blogger Agnes Mirra said...

Pungente e sutil... o amor é sempre surpreendente!

10 outubro, 2006 00:29  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home