04 dezembro 2006

Ana Cristina Souto
















Recolha

Recolha aquelas palavras
o vinho entornado

a blusa amarrotada
o sorriso cínico

os sóis, as luas.

Recolha também as flores roubadas
os nossos mortos

livros de TAO
o lugar à mesa

o presente impune.

E a rede na varanda
a nossa canção

a xícara de café
toalha molhada

as mesmas mentiras...

Recolha-as!

- Não deixe vestígios de ti!

Os sonhos;
deixe-os por mim...

1 Comments:

Blogger Aroeira said...

ana, vejo muita ilusão, sim, nos seus poemas, vejo uma certa melancolia, mas muita ternura. Você é doce.
beijo, bela.

20 fevereiro, 2007 08:33  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home