27 agosto 2006

Amanda Oliveira

Que morram

Que morram as palavras
Que esmaguem os sonhos
Que retalhem os apelos
E se matem os devaneios

Que estrangulem os planos
Que enforquem os carinhos
Que esfaqueiem os cuidados
E se matem os desenganos

Que desfaleçam as esperanças
Que pisoteiem as lembranças
Que sufoquem os instintos
E se matem os destinos

Que se esqueça com a morte...

3 Comments:

Anonymous Rita Maria Felix da Silva said...

Ana,

Impressionante esse poema de Amanda Oliveira. Impressionante mesmo.
Rita.

27 agosto, 2006 12:20  
Blogger No Escuro said...

Ritinha a Amandinha é uma poeta linda

27 agosto, 2006 16:34  
Blogger Dinha said...

Obrigada!
Qta honra...

Bjos, Anacris...


Dinha

31 agosto, 2006 22:16  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home